(11) 97666-6627 | (11) 97634-4796 | contato@espaconeuropsi.com.br

Atendimentos

Psicoterapia Individual

A psicoterapia tem a finalidade de tratar questões emocionais, comportamentais e psicológicas, nas diferentes formas que o sofrimento humano pode assumir na vida de uma pessoa, sendo indicada na busca de autoconhecimento; quando há sentimentos e pensamentos constantes de tristeza, medo, ansiedade, desânimo, raiva, culpa; na vivência de situações difíceis; na dificuldade em lidar com o passado; em processos de perdas, lutos, separações ou períodos conturbados de mudanças; quando há problemas nos relacionamentos sociais, familiares e profissionais.

A Psicoterapia favorece ao indivíduo um processo de autoconhecimento, proporcionando que este tenha consciência de seus comportamentos, sentimentos, motivos e ações, suas vivências pessoais e relações.

Esse processo possibilita ao paciente um desenvolvimento pessoal e um olhar diferente para sua própria existência, auxiliando-o na ressignificação de suas vivências, no desenvolvimento de habilidades, elevando sua autoestima, autonomia, motivação, proporciona maior segurança na tomada de decisões, tolerância à frustração, superação de conflitos e traumas.

Psicoterapia Infantil

O trabalho na clínica com crianças busca compreender as causas e aspectos de sua vida que possam estar relacionados com a dificuldade apresentada.

As dificuldades da criança são um sintoma de que algo não está bem em seu interior, e geralmente essas questões são expressadas através de alterações comportamentais, como agressividade, isolamento, alterações de apetite ou sono, dificuldade escolares, dificuldades nas relações interpessoais, entre outros.

Nas sessões são utilizadas técnicas lúdicas que permitem através do jogo e do brincar, maior compreensão do caso, diminuição das dificuldades comportamentais e emocionais, e uma significativa melhora de seu comportamento, comunicação e relacionamento entre as crianças e os pais.

Psicoterapia de casal

A Psicoterapia de casal é um atendimento focado especificamente nas questões da relação entre o casal, na sua interação e nas dificuldades específicas que estejam vivendo, proporcionando um espaço de acolhimento e livre de julgamentos, para uma comunicação mais reflexiva e assertiva, compreendendo a expectativa e visão de cada um.

O psicólogo atua como mediador, proporcionando maior compreensão da situação e diálogo entre as partes, que muitas vezes, perdem o controle e não conseguem tomar uma decisão ou modificar padrões que possam estar interferindo de maneira negativa na relação.

Os atendimentos geralmente ocorrem com as partes juntas e eventualmente podem ocorrer de forma separada, dependendo do caso.

Esta modalidade de atendimento tem foco em casais, independente se são casados legalmente, namorados, moram juntos, se são casais de sexo oposto ou do mesmo sexo.

Psicodiagnóstico

O psicodiagnóstico visa compreender as questões envolvidas nos problemas ou sintomas apresentados pelo paciente, e para isso, são utilizados vários instrumentos, como testes, entrevistas, dinâmicas e atividades diversas, com o objetivo de conhecer melhor a dinâmica e o funcionamento psíquico do indivíduo, e dessa forma fazer a intervenção terapêutica necessária baseada no resultado obtido.

Terapia Cognitivo Comportamental (TCC)

Identifica problemas cognitivos relacionados aos pensamentos e comportamentos disfuncionais. Orientada por metas, focaliza principalmente a situação presente e o reconhecimento de crenças do indivíduo, utilizando-se de variadas técnicas para mudança de pensamento, humor e comportamento. Necessita de aliança terapêutica segura e colaboração do paciente.

É indicada no tratamento de vários transtornos e conflitos psicológicos, tais como: Transtorno Bipolar, Depressão, Síndrome do Pânico, Transtorno de Ansiedade Generalizada, Transtorno Obsessivo Compulsivo, Transtorno de Estresse Pós-Traumático, Fobia Social, Fobias Específicas, Transtornos Alimentares (Bulimia, Anorexia, Obesidade), Dependência Química, Alcoólica e outras dependências.

Aplica-se para indivíduos de todas as idades (crianças, adolescentes, adultos e idosos) que apresentam uma visão negativa de si, do mundo e do outro, apresentando distúrbios emocionais e comportamentais que desencadeiam uma série de conflitos psicológicos.

Avaliação Neuropsicológica

A Neuropsicologia é a área da Psicologia das Neurociências que estuda as relações entre o sistema nervoso central (SNC), o funcionamento Cognitivo e o comportamento. Engloba conceitos da Neurologia, Neuroanatomia, Neurofisiologia, Neuroquímica e as Ciências do Comportamento.

Sua principal atuação é na compreensão de como lesões, malformações, alterações genéticas ou qualquer agravo que afete o sistema nervoso causam déficits (alterações) em diversas áreas do comportamento e da cognição humana.

É indicada em casos de doença de Alzheimer e outros tipos de demências, depressão, epilepsia, TDAH, dislexia, dificuldades escolares, distúrbios psiquiátricos ou neuropsiquiátricos, esclerose múltipla ou outras doenças neurodegenerativas e distúrbios do desenvolvimento.

Auxilia no diagnóstico diferencial de déficits de atenção e cognitivos, lesões cerebrais decorrentes de traumatismos, tumores, acidentes vasculares cerebrais, ou associados ao uso de drogas e álcool.

A avaliação é realizada por meio de uma bateria de testes e procedimentos padronizados, apropriados para idade e perfil de cada paciente, por meio da qual é possível analisar detalhadamente a relação entre o comportamento do indivíduo e o seu funcionamento cerebral, investigando a existência ou não de alterações cognitivas e comportamentais. Na avaliação neuropsicológica também é possível identificar precocemente a presença de algum distúrbio e o nível de sua evolução, bem como detectar o prejuízo em diversas áreas.

Além do resultado obtido na avaliação, leva-se em consideração o histórico clínico, as habilidades cognitivas e sociais do paciente, e desta forma é realizado o planejamento de intervenções e estratégias para reabilitação e tratamento das limitações apresentadas, minimizando-as, além de serem formulados meios para inclusão social e orientação da família e escola.

Reabilitação Neuropsicológica e Cognitiva

Trata-se de um processo interativo que envolve pacientes, terapeutas e familiares que trabalham em conjunto com os profissionais envolvidos no tratamento para superar, reduzir ou compensar as dificuldades cognitivas, funcionais, comportamentais, emocionais e sociais resultantes de uma lesão encefálica adquirida, como também de quadros neurológicos e neuropsiquiátricos.

Tem como finalidade auxiliar na aquisição e no desenvolvimento de habilidades que ainda não foram desenvolvidas pelo indivíduo ou que se encontram abaixo do esperado frente às demandas do ambiente.

As intervenções são realizadas através de um conjunto de técnicas e estratégias que buscam estimular os processos cognitivos, (percepção, atenção, memória, aprendizagem e consciência,) com a finalidade de impulsiona-los e potencializa-los.

Avaliação e Intervenção Neuropsicopedagógica

A Neuropsicopedagogia avalia e trabalha as dificuldades relacionadas ao processo de aprendizagem em crianças, adolescentes ou adultos, buscando compreender o funcionamento do sistema nervoso central (SNC) na aprendizagem e desenvolvimento do cérebro, possibilitando a integração de suas funções e estimulações cognitivas adequadas.

A avaliação neuropsicopedagógica tem como objetivo investigar o processo de aprendizagem do indivíduo, visando compreender os diversos aspectos que podem estar envolvidos com o sintoma apresentado, apoiando-se em instrumentos e estratégias específicas em cada caso para realização do diagnóstico.

As intervenções visam o desenvolvimento de atividades que estimulam as funções cognitivas, de acordo com a avaliação realizada, abordando simultaneamente as questões afetivas e sociais do paciente, possibilitando uma melhora progressiva, favorecendo a construção de sua autonomia, bem como realizar orientação de pais e escola durante o processo.

O tempo de trabalho e acompanhamento neuropsicopedagógico é variado, dependendo das causas e intensidade das dificuldades apresentadas, podendo ser concluído quando o paciente se sentir capaz de encarar os desafios inerentes à aprendizagem com naturalidade e segurança, deixando esta questão de ser um problema para ele.

Considerando que as dificuldades podem ser de origem orgânica, cognitiva, emocional, social ou pedagógica, é importante ressaltar que durante este processo podem ser realizados encaminhamentos a outros profissionais da saúde para realização de trabalho interdisciplinar, de acordo com a necessidade de cada caso.

Orientação Familiar

É natural que no meio familiar existam momentos de conflitos e crises, e a orientação familiar visa promover um espaço aberto de escuta mútua e mediada, promovendo uma reflexão conjunta com o objetivo de compreender as questões sob vários pontos de vista, sendo expostas as necessidades e expectativas, na busca de novas formas de ver e viver as situações apresentadas, possibilitando assim que a família organize suas funções e seja um espaço de segurança e pertencimento, tornando as relações mais empáticas e prazerosas.

Orientação de Pais

A orientação de pais visa auxiliar no relacionamento e no processo de educação de crianças e adolescentes, quando é necessária a modificação de comportamentos, tanto dos próprios pais ou responsáveis, quanto das crianças e jovens, sendo que para os pais, muitas vezes é um grande desafio modificar antes de tudo, seu próprio comportamento para promover mudanças significativas na conduta dos filhos.

Nesse processo se busca transmitir valores e normas de conduta que possam garantir uma vida familiar e social saudável, além de favorecer o desenvolvimento de potencialidades.

Psicoterapia para Dependência Química, Alcoólica, Tecnológica, entre outras

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define a dependência química como uma doença crônica, progressiva, que piora com o passar do tempo, primária, que gera outras doenças e fatal. É considerada um transtorno mental caracterizado por um grupo de sinais e sintomas decorrentes do uso de substâncias psicoativas (drogas). A doença traz consequências e prejuízos em, praticamente, todas as áreas da vida do indivíduo: trabalho, família, estudos, além de relacionamentos conturbados, e situações de risco em que o dependente se coloca. A doença é crônica, ou seja, não tem cura, porém pode e deve ser tratada. O Tratamento da dependência química é multidisciplinar e envolve médico Psiquiatra, Psicólogo, bem como outros profissionais da área da saúde.

Com relação à terapia, tanto para dependência química como outras compulsões, utilizamos no tratamento a Terapia Cognitivo Comportamental (TCC). Esta abordagem é focada na forma como as pessoas pensam, sentem e agem, assim podemos ajudá-las a resolver seus problemas emocionais. Uma das principais características da TCC, é que ela nos fornece as ferramentas necessárias para desenvolver uma abordagem centrada na dificuldade, e nos permite avançar em direção as metas (no caso manter a abstinência de substâncias e/ou demais dependências). Desta forma a TCC se mostra uma abordagem direcionada, sistemática e eficiente na solução dos problemas.

Mindfullness – Meditação

O termo Mindfulness, refere-se a “uma consciência sincera, de momento a momento, não julgadora”. Refere-se à capacidade de prestar atenção no momento presente e a tudo que surgir interna ou externamente, sem se embaraçar em julgamentos ou no desejo de que as coisas sejam diferentes.

Esta abordagem tem como finalidade levar o indivíduo a focar e perceber suas experiências internas, observar o surgimento e desaparecimento de seus pensamentos e sentimentos sem se apegar àqueles muito valorizados e sem tentar banir os dolorosos e desta forma promover a aceitação de sua experiência interna. A aceitação diminui as dificuldades e ajuda na promoção de mudanças no processo terapêutico.

O cliente é motivado a cultivar a bondade e o cuidado em relação à própria experiência, a olhar seus pensamentos, sentimentos, e sensações que surgirem, como parte da experiência humana e não como um sinal de sua fraqueza ou limitações.

Biofeedback

O termo Biofeedback é formado pelo radical 'bio' (vida) e 'feedback' (retorno de informação). É uma ferramenta terapêutica que fornece informações com a finalidade de permitir aos indivíduos desenvolver a capacidade de auto-regulação. Quando a pessoa aprende a relaxar e a modificar seus processos fisiológicos, ele treina sua mente a controlar o corpo e assim regular o seu estado físico e emocional.

O tratamento de biofeedback é simplesmente o retorno imediato da informação através de aparelhos sensórios eletrônicos sobre processos fisiológicos (frequência cardíaca, temperatura periférica, resposta galvânica da pele, tensão muscular, pressão arterial e atividade cerebral).

Biofeedback é indicado como terapia complementar no tratamento de: distúrbios do sono, transtornos de ansiedade (fobias, síndrome do pânico, traumas, stress, fobia social etc.), transtornos do humor e quadros depressivos, transtornos de déficit de atenção/hiperatividade/impulsividade entre outros.

Contato

  • Pilar Piñeiro: (11) 97666-6627
  • Juliana Piñeiro: (11) 97634-4796
  • contato@espaconeuropsi.com.br

Onde Estamos

  • R. Voluntários da Pátria, 4370 - Sala 121
  • Santana, São Paulo - SP
  • CEP: 02402-600

Redes sociais